O processo de flocagem térmica melhora as características organolépticas, químicas e físicas dos cereais e das leguminosas presentes nas rações alimentares das diversas espécies animais, facilitando a sua digeribilidade e melhorando notavelmente os desempenhos produtivos da criação.

A transformação dos grãos de cereal em flocos oferece notáveis vantagens dos pontos de vista nutritivo e sanitário, entre os quais é oportuno ressaltar:

  • A mudança do aspecto físico do alimento: 
a redução das cariopses em lâminas ou flocos produz um notável aumento do volume do alimento, com uma ingestão mais prolongada. Uma maior superfície de contacto com os sucos gástricos favorece a sua digestão.
  • A transformação molecular do amido: 
o cozimento a vapor e a laminação dos cereais agem na estrutura química e física do amido, favorecendo primeiro a sua transformação em dextrinas e açúcares menos complexos e, em seguida, a perda da estrutura cristalina, como resultado do fenômeno de “gelatinização”. Estas transformações comportam seja numa melhoria da digeribilidade dos alimentos seja num aumento do seu grau de embebição, que resulta quase duplicado em relação ao valor do grão seco moído.
  • O aumento da digeribilidade dos alimentos: a digeribilidade do amido aumenta graças à sua transformação em dextrinas. No caso do milho, a percentual passa de 34% no cereal moído para 87% no mesmo cereal flocado, enquanto na cevada passa de 61% para 81%.
  • A qualificação sanitária dos alimentos: com a flocagem térmica é obtida uma esterilização ideal dos cereais e das leguminosas, com a eliminação de qualquer tipo de bactéria e de micotoxinas desenvolvidas em condições de armazenamento prolongado.
  • O aumento da palatabilidade das rações: 
 o aumento da palatabilidade do alimento comporta importantes vantagens na obtenção de produções de alto nível.
  • A melhoria do sentido de saciedade: 
antecipação do sentido de saciedade e aumento da insalivação devidos ao maior volume dos flocos em relação aos grãos. Isto comporta numa melhoria do processo de produção, graças ao denominado “poder tampão”, principal corretor do pH ruminal.
  • A eliminação dos fatores antinutricionais: 
o cozimento à uma temperatura ideal representa o único instrumento que permite inserir nas rações alimentares alguns cereais ou leguminosas (soja, sorgo, etc.) que, do contrário, seriam inutilizáveis por causa do seu conteúdo de fatores antinutricionais.
  • A otimização da utilização de alimentos de baixo valor biológico: 
a maior possibilidade de introdução de produtos menos custosos nas rações alimentares que, graças ao processo de flocagem térmica, apresentam um notável aumento do seu desempenho energético.